Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Prefeito eleito de Itaituba é alvo de operação da PF

O prefeito eleito de Itaituba, Valmir Climaco (PMDB), foi um dos alvos da operação 'Deseduca', deflagrada pela Polícia Federal de Santarém em Itaituba, sudoeste paraense, nesta terça-feira (25).

Climaco se apresentou na sede da Polícia Federal em Brasília, onde cumpria agenda em encontro da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

Ele era prefeito da cidade na época dos desvios de recursos destinados a reforma e construção de escolas e quadras poliesportivas no município em 2012.

A justiça expediu contra Climaco um mandado de condução coercitiva, quando o suspeito é obrigado a ir até a autoridade policial para prestar depoimento, além de um de busca e apreensão.
Ao todo foram cumpridos sete mandados de condução coercitiva, um de prisão preventiva e sete de busca e apreensão. Foram sequestrados R$ 2.387.719 milhões em bens dos investigados. Os mandados foram cumpridos em Itaituba, Vitória do Xingu, além de Brasília.

De acordo com a PF, as investigações mostraram que os envolvidos no esquema fraudavam licitações. As empresas contratadas receberam pelas obras licitadas, mas não entregaram nada. Os investigadores descobriram um pagamento de mais de R$ 500 mil a uma das empresas no último dia de expediente bancário do último ano da gestão de Climaco em 2012. A verba era referente à reforma da escola municipal de ensino infantil e fundamental César Almeida I, na localidade de Moraes de Almeida. A obra, no entanto, nunca foi entregue.

Os recursos desviados eram provenientes do  Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). 

Os envolvidos no esquema foram inciados por desvio de recurso público e associação criminosa. O material apreendido na operação de hoje será analisado e periciado na busca de mais provas que confirmem os crimes e a ligação entre os suspeitos e as fraudes. A PF investiga ainda contratos que totalizam R$ 16 milhões que podem ter sido alvo de fraude. 

Fonte: ORM

0 comentários: