Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Fórum debate desenvolvimento para oeste do Pará

Evento será realizado ainda em Altamira, Rurópolis, Itaituba e Santarém

No último sábado (11), o município de Uruará, localizado no oeste do Estado, sediou o "1º Fórum da Transamazônica e BR-163", que debateu alternativas e soluções para o desenvolvimento da região. A iniciativa foi do deputado estadual Eraldo Pimenta e contou com a presença do ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho; dos deputados estaduais Iran Lima, Soldado Técio, Sidney Rosa, Ildo Aguiar e Antonio Tonheiro; além dos representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT, Banco da Amazônia, Secretaria Estadual de Saúde - Sespa, Polícia Militar, Câmara Municipal, sociedade civil organizada, sindicados e associações.

Para o deputado Eraldo Pimenta, o evento inicia mais uma vez o debate para o resgate socioambiental de uma zona estratégica para o estado do Pará e do Brasil, que são as rodovias BR-230 (Transamazônica) e BR-163 (Santarém-Cuiabá), construídas na época do regime militar para integrar o Norte brasileiro com o resto do país, e ligar a região Norte ao Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, respectivamente. “Esta é uma grande oportunidade para debatermos o futuro da região onde moramos, pois pensar em estratégias de desenvolvimento é também investir no futuro das gerações que habitam essas terras”, afirmou o deputado.

Em seu discurso, o ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, reforçou a questão de integrar a população paraense no processo de desenvolvimento. “O deputado Eraldo Pimenta, está de parabéns por ter tido a iniciativa e compreensão de ver a necessidade do parlamento estadual liderar um processo tão importante de debate para encontrar novos caminhos para a região do oeste do Pará. Sem dúvida o desenvolvimento que está chegando para esta região, através do governo federal, deve ser debatido para que os moradores também sejam inseridos nesse processo, e crescer junto com o Pará e junto com o Brasil, concluiu.

O Fórum será realizado ainda nos municípios de Altamira, Rurópolis, Itaituba e Santarém.  As alternativas e soluções apresentadas durante as plenárias vão resultar na criação de um protocolo que será entregue para a criação do Plano Plurianual - PPA (2016/2019).

Plano Safra 

Durante o evento,  o ministro realizou ainda uma apresentação aos agricultores sobre as potencialidades da atividade da pesca e aquicultura na região. Helder afirmou que o Ministério está trabalhando para alcançar a meta de dois milhões de toneladas, até 2020, elevando o Brasil ao 5º lugar no ranking mundial de produção aquícola, e para isso está trabalhando para incentivar cada vez mais a produção de peixes em todo o País. 

O ministro  apresentou o Plano Safra da Pesca e Aquicultura 2015/2016, uma linha de crédito que financia projetos para aumentar a produção e gerar renda em todo o Brasil. De acordo com Helder, são mais de R$ 2 bilhões para todo o Brasil. “É um plano nacional e não há quantificação de recurso por Estado. O produtor que estiver em condições pode requerer os recursos em nível nacional, a partir daí estará disputando esta oferta de R$ 2 bilhões”, explicou.

Com taxas de juros reduzidas e prazos de carência maiores, o Plano Safra beneficia pescadores profissionais, marisqueiras, aquicultores de peixes, camarões, ostras, mexilhões e vieiras, algas, peixes ornamentais, além dos agricultores familiares que desejem utilizar seus reservatórios no cultivo de peixe.

Criação

Ainda em Uruará, o ministro da Pesca visitou a propriedade do agricultor Darcísio Quanz, que há 20 anos realiza a criação de Tambaqui e Pirarucu, em 24 tanques escavados, espalhado em uma área de 10 hectares. A produção atende cerca de 75% da necessidade do município. O agricultor disponibiliza ainda de sua própria fábrica de ração. “Sempre acreditei na criação de pescado e por isso venho fazendo tantos investimentos. E hoje receber o nosso ministro da Pesca é uma grande honra para mim. Fico ainda mais feliz por ser um paraense que a cada dia vem se dedicando ainda mais por seu Estado e por seu País”, afirmou o agricultor. 

“Sem dúvida, esta é uma verdadeira demonstração do quanto a região do oeste do Pará pode ter na piscicultura um grande alternativa econômica.  Vamos trabalhar para cada vez mais fortalecer esta atividade, e com isso, gerar mais emprego e renda, garantindo pescado de qualidade a um preço acessível na mesa das pessoas”, concluiu o ministro.

Fonte: Assessoria de imprensa

0 comentários: