Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

O que ele disse


"Dilma não está bem, Haddad não está bem e o PT não está bem no Estado. A culpa não é do Padilha..."

Duda Mendonça (na foto), marqueteiro de Paulo Skaf, candidato do PMDB ao governo paulista, sobre a candidatura de Alexandre Padilha, até aqui estacionada em 4%, segundo pesquisa do Datafolha.

MPF denuncia comerciantes acusados de trabalho escravo

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça dois comerciantes por terem submetido trabalhadores bolivianos a condições semelhantes às de escravos em um restaurante de Altamira, no sudeste do Pará. A denúncia, encaminhada à Justiça Federal nesta terça-feira, 22 de julho, também registra que direitos trabalhistas de funcionários brasileiros foram violados.

Caso condenados, os acusados podem pegar até oito anos de reclusão e multa pelo crime de submissão a trabalho escravo e detenção de até dois anos, além de multa, pela frustração de direitos trabalhistas. As punições podem ser somadas de acordo com o número de vezes em que os crimes foram cometidos. As vítimas do trabalho escravo são dois bolivianos, e as vítimas da violação de direitos trabalhistas são duas brasileiras.

Assinada pela procuradora da República Thaís Santi Cardoso da Silva, a denúncia relata que Fernando Darnich Yale Alvis e Leila Moura De Yale, responsáveis pelo restaurante Panela de Barro, aliciaram as duas vítimas do trabalho escravo em Puerto Villa Ruel, na Bolívia. Em fevereiro de 2013, as vítimas foram trazidas ao Brasil pessoalmente pelos denunciados, que prometeram bons salários, moradia, alimentação e bens de consumo, sem custos para os trabalhadores.

Ao chegarem ao local de trabalho, as condições encontradas foram totalmente diferente das prometidas. As vítimas eram submetidas a jornadas de trabalho superiores a 18 horas diárias, sem período de descanso ou dias de folga. Uma delas residia no próprio local de trabalho, no depósito do restaurante, junto com sucatas, restos de alimentos, botijões de gás, ratos e baratas.

As promessas de moradia, alimentação e bens gratuitos foram desmentidas, e as vítimas acabaram ficando em dívida com os denunciados, o que impedia os bolivianos de deixar o restaurante. “A repulsa que causa esse delito reside na coisificação do ser humano, que no presente caso se soma à vulnerabilidade das vítimas, retiradas de seu país para servirem no limite da exaustão aos agentes denunciados, sem possibilidade de retornar aos locais de origem”, criticou a procuradora da República na ação judicial.

As vítimas brasileiras não tiveram a carteira de trabalho registrada. Os acusados enganavam as funcionárias dizendo que estavam impossibilitados de fazer as anotações nas carteiras porque havia muita burocracia para a realização dos registros.

Campanha MPF no combate ao trabalho escravo - Nos últimos anos, o MPF tem intensificado os esforços para garantir maior eficiência na punição do trabalho escravo. Desde 2010, os procedimentos extrajudiciais instaurados aumentaram mais de 800%. Já as ações penais autuadas quase dobraram. Isso traduz o empenho em combater os crimes relativos à escravidão contemporânea e assim garantir a efetivação de um dos princípios norteadores da República Federativa, que é a dignidade da pessoa humana.

Para conscientizar a sociedade sobre a ocorrência da escravidão contemporânea e mostrar como o trabalho escravo se configura na atualidade, a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, em parceria com a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, lançou este ano a campanha publicitária institucional "MPF no combate ao trabalho escravo".

A iniciativa pretende, também, esclarecer que o MPF atua no combate a este crime e que o cidadão pode procurar a instituição caso tenha conhecimento de alguma irregularidade.



Fonte: Ministério Público Federal no Pará

Dívida da prefeitura é de quase R$ 10 milhões

Após ficar cerca de 15 dias no cargo, a vice-prefeita de Ourilândia do Norte, Ângela Liberato, fez uma varredura nas contas do município e produziu um levantamento das contas do município que apontam dívidas de quase R$10 milhões deixadas pelo prefeito Maurílio Gomes da Cunha (PSC).
O gestor foi afastado do cargo em julho deste ano pela Justiça e responde por improbidade administrativa e crime ambiental, após denúncias do Ministério Público Federal.
De acordo com Ângela, a prefeitura está afundada em dívidas. Alguns títulos não são pagos desde outubro do ano passado, somando quase R$10 milhões em débitos. Entre as dívidas estão, por exemplo, R$600 mil para a Celpa, provenientes de contas de energia elétrica de diversos estabelecimentos públicos, o que vem gerando corte de energia em vários locais da cidade, como já ocorreu em feiras, praças e até mesmo na rodoviária e no aeroporto de Ourilândia do Norte.
“Ourilândia passa por uma crise financeira muito grande por causa da irresponsabilidade do prefeito”, denunciou a vice-prefeita.

FORNECEDORES

Ainda segundo ela, diversas empresas como supermercados, postos de combustível e fornecedores de materiais de utilização contínua não foram pagos, gerando o bloqueio da prefeitura para novas compras e, com isso, a realização de serviços da própria Prefeitura Municipal vem sendo feita de maneira precária.
“Já que as dívidas não foram pagas, esses fornecedores deixaram de repassar material para a prefeitura, e com razão. Assim, cidade está praticamente bloqueada. A dívida em supermercado, por exemplo, onde são adquiridos produtos de limpeza, higiene e de alimentação que servem as escolas, chega a R$1 milhão. É um absurdo”, afirmou Ângela Liberato.
Além dos problemas de falta de pagamento, outros indícios de improbidade administrativa foram encontrados. “Existem funcionários fantasmas na Prefeitura de Ourilândia, principalmente ligados ao setor da educação e da saúde do município”, alertou Ângela.
Na última quarta-feira (16), Maurílio Gomes conseguiu uma liminar na Justiça para voltar ao cargo, mas a vice-prefeita avisou que irá a Brasília para recorrer. 
Resposta
A assessoria da prefeitura afirmou que as informações são inverídicas e que a questão com o prefeito é meramente política. (Diário do Pará)

Município terá que custear tratamento médico

A Prefeitura de Itupiranga será obrigada a promover e custear, de forma integral, o transporte e o tratamento de saúde de uma criança diagnosticada com a doença Osteomielite Crônica, no prazo máximo de 72 horas. A liminar foi deferida na segunda-feira (21) pelo juiz responsável pela Vara única de Itupiranga, Alexandre Hiroshi Arakaki, acatando os pedidos do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), requeridos pelo promotor de Justiça Arlindo Jorge Cabral Junior. Caso a liminar seja descumprida, a Prefeitura Municipal pagará multa diária de mil reais até o limite de 50 mil reais.
A criança, nascida em 2003, na cidade de Marabá, sofre diariamente com fortes dores devido à progressão da doença. Em 25 de março deste ano, a Promotoria de Justiça de Itupiranga entrou em acordo com o município para que a criança viesse fazer tratamento na cidade de Belém, porém, a resposta que obteve foi de que não há tratamento disponível em nenhum local do estado do Pará, necessitando que o paciente seja enviado à cidade do Rio de Janeiro para que efetive seu tratamento. 
“Trata-se de um absurdo. Deveria encaminhar o paciente, que apresenta um grave problema de saúde, à rede adequada a realizar tal tratamento, que, segundo a própria documentação fornecida pela Central de Regulação, seria o Hospital INTO, na cidade do Rio de Janeiro. Em vez disso, retornou o paciente para o presente município, sem efetivamente fazer qualquer tipo de tratamento ou encaminhamento”, ressaltou o promotor de Justiça Arlindo Cabral. 

SAÚDE

Ao ser questionado no último dia 17, o secretário de saúde do município, Helder Cruz, confirmou todo o exposto, alegando ainda que a única forma de enviar a criança para o Rio de Janeiro seria através de uma demanda judicial, já que o município não poderia dispor de verba municipal para o tratamento.
O promotor de Justiça desabafou ainda que esta situação “salta aos olhos, pois o perigo da demora do provimento final da demanda em tela poderá acarretar graves danos ao menor, que está em fase de crescimento e, com a demora na prestação do tratamento devido, os seus ossos continuarão a crescer desordenadamente, vítimas de infecções características, exatamente devido à falta de tratamento”. (Diário do Pará)

Estudo aponta dez profissões ameaçadas de extinção

Um site americano especializado em carreiras fez uma lista das profissões ameaçadas de extinção. São atividades com previsão de queda na contratação nos próximos oito anos. O site se baseou em estatísticas trabalhistas dos Estados Unidos.

Confira as dez profissões mais ameaçadas:

1º. Carteiro
2º. Trabalhadores rurais
3º. Técnico em leitura de medidores de energia
4º. Repórteres de jornais
. Agentes de viagens
6º. Lenhadores
7º. Aeromoça
8º. Trabalhadores do setor produtivo industrial
9º. Trabalhadores da indústria gráfica
10º. Agente de cobrança

 
Segundo a pesquisa, a contratação dos carteiros pode ter 30% de queda. Os trabalhadores do agronegócio, do setor produtivo industrial, da indústria gráfica e os lenhadores serão prejudicados por causa da automação nesses setores. A evolução tecnológica também afetará a contração dos técnicos especializados na leitura de relógios de água e energia. A aposta é que, em breve, as empresas conseguirão medir esses dados a distância.
 
Em quarto lugar, estão os repórteres de jornais, que sofrem com a queda nos anúncios e nas assinaturas dos jornais impressos. Agentes de viagens estão ameaçados, porque as pessoas estão cada vez mais organizando viagens de forma autônoma. Já as aeromoças poderão sofrer dificuldades por causa da fusão de empresas, o que causaria uma redução no número de voos.

abismos na educação: Maioria das escolas públicas no Brasil não tem rede de esgoto

Dados são do Censo Escolar 2013, do Inep.
Maioria das escolas públicas no Brasil não tem rede de esgoto (Editoria de Arte/G1)
 

Martelo batido

Duciomar, o pior prefeito de Belém dos últimos 800 anos (os 400 que vai completar e os 400 do porvir), finalmente decidiu decidir, como diz o bom português carregado de ecolalia, cacofonia e afins. Na manhã desta quinta-feira, Dudu fechou a coligação proporcional com o PSDB e PSD.

Agora adivinhem o que vem por ai? Isso mesmo, Dudu vai disputar a única vaga a senado com Jefferson Lima, Elenilson Pontes e Mário Couto.

Coisas de Dudu.