Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Sidiclei derruba máscara do Prof. Waldes

O candidato a vereador pelo PC do B, Sidiclei Lisboa Moura, lavou roupa suja em palanque durante reunião política, realizada, no bairro São Pedro São Paulo, em Capanema, no último dia (05/09). Quem estava atento ao pronunciamento de Moura ficou surpreso com as revelações.
 
Sidiclei estava narrando calmamente seu projeto, caso seja eleito vereador, quando o tom da sua voz mudou, causando surpresa, não só em quem estava no palanque, mas na multidão que acompanhava o discurso do candidato a proporcional.
 
Em tom áspero, Sidiclei afirmou que “há um candidato do meu partido ‘PC do B’ que se vendeu pro lado de lá ‘22’. Ele havia exigido do nosso candidato a prefeito, Claudionor Moreira, R$ 70.000,00 para ficar ao seu lado. Além disso  queria queria R$ 2.000,00 por semana e mais um carro”, disse Sidiclei. Complementou afirmando que, esse pedido foi feito pelo candidato a vereador, Waldes Ribeiro da Silva, o qual pertence ao mesmo partido. A multidão que estava envolta do carro som ficou surpresa com as declarações do candidato.
 
Informações de bastidores apontam que, Claudionor Moreira (PDT), que disputa a uma vaga no executivo municipal não topou o acordo e disse ainda “não aceitei a proposta e disse para o Waldes que poderia apoiar qualquer candidato”. Declarou ainda “ele me disse que se não conseguisse tal acordo levaria seu grupo para apoiar outra pessoa. Mas, quando consultei os candidatos do PC do B, percebi que era um blefe e que era só ele quem estava barganhando vantagens”, finalizou Claudionor.
 
Não alcançando sucesso em suas investias, Waldes teria migrado para outra base partidária, que por azar, não topou ser seu aliado, fazendo assim que o mesmo retornacesse ao grupo de mãos abanando.
 
No retorno, Waldes teria assumido uma postura, aparentemente mais humilde e se mostrado disposto a continuar na base do PDT, mesmo que não fosse oferecido nenhuma regalia.
 
Resumo da ópera - Para surpresa do grupo, Waldes sem comunicar os correligionários bandeou-se para o lado do 22 que acabou pegando gato por lebre, visto que o grupo se recusou a abandonar o PDT para acompanhá-lo. Comenta-se pelos bastidores que o presidente estadual do PC do B, Panzera, que disputa a vice na chapa de Edmilson Rodrigues (PSOL) em Belém, já teria conhecimento dos fatos em Capanema e que “já havia enviado pessoas do partido ao município para colher informações. Caso seja comprovado que Waldes está em outra base política, o mesmo poderá ser expulso do partido”, revelou.
 
O acordo político vazado em público por Sidclei causou perplexidade em muita gente, principalmente em alunos do professor Waldes que lhe tem como pessoa “séria”, “honesta” e que pregava o “anti Eslon”.
 
Após o comício o que mais se ouvia era a respeito do “acordo” imposto por Waldes Ribeiro da Silva (PC do B). Algumas fontes do Blog afirmaram que “Waldes não tem votos para se eleger e que nunca foi líder político. Outros afirmam que não chegará a lugar algum, principalmente se continuar usando essa conduta antiética”, finalizou fontes do Blog.
 
Outro lado – O Blog tentou contato com pessoas próximas ao professor Waldes, afim de localizá-lo, para contar sua versão, mas até o fechamento da matéria não conseguimos contato.
 

0 comentários: