Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Como sair da crise sindical patronal?

Por Fernando Alves de Oliveira

Saiba como, assistindo a palestra

“EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL E FINANCEIRA DA REPRESENTAÇÃO SINDICAL”

Objetivos: A entidade patronal precisa ser potente na representação institucional de sua categoria econômica. Como tal, não pode e em absoluto não deve depender apenas dos recursos da arrecadação da contribuição compulsória. Tem a necessidade de possuir quadro associativo verdadeiramente representativo.  Associativismo, eis a palavra-chave. Mas associativismo não pode ser encarado apenas como uma campanha de novos associados. É bom ter em mente que o sindicalizado captado hoje e insatisfeito amanhã, com certeza será o mesmo contribuinte inadimplente da atualidade! Tenha em conta que a contribuição obrigatória vai ter fim, pois é inteiramente dissonante com o sindicalismo de vanguarda.  Assim, ainda que postergada, a reforma da organização sindical virá e exigirá movimento de antecipação e preparação. Sair à frente dela é a palavra de ordem estratégica. Mais do que de inteligência. De sobrevivência e real progresso, próprio dos vanguardeiros que não ficam a reboque da inércia!

Público alvo: Dirigentes que reconheçam o óbvio. Enquanto o desconto da CS do empregado é compulsório, o da empresa difere. Se esta não o fizer espontaneamente, qual o procedimento de sua entidade? Aumentará eventuais divergências existentes, intentando cobrança judicial? Não é melhor tê-la como sindicalizada satisfeita? Ou alguém de bom senso do mundo sindical acredita que este modelo anacrônico de 70 anos prevalecerá eternamente?

Apenas alguns itens do conteúdo programático da palestra:

- As dificuldades de aglutinação nas entidades patronais

- Causas da restrita participação de seus filiados

- As razões da crescente inadimplência nas entidades do patronato

- O fastígio até os anos 90 e depois as razões da regressão

- Somente óbvias obrigações institucionais já não bastam

- Por que o percentual de sindicalizados é pífio

- Novos associados: antes, mera opção; hoje, absoluta necessidade

- Um problema crônico, pouco lembrado, mas de volumosa evasão de recursos

- A exação da cobrança da CS vista nos ângulos jurídicos e práticos

- O sério confronto da cobrança judicial ante a grave contradição judicante

- O Acórdão 1663 do TCU dará início à transparência sindical. Saiba como

- A associação que precedia a fase pré-sindical rediviva

- A baixa taxa de sindicalização. Quais as razões?

- A semente do associativismo

- A necessária reengenharia operativa sindical patronal

- O distanciamento do contribuinte e a necessidade de reversão

- O incremento de novos contribuintes

- Como evitar a perda de contribuições erroneamente recolhidas

- Um serviço de baixo custo e de grande proveito institucional e financeiro

- As imperiosas mudanças estratégicas de ação em busca do sucesso

Instrutor palestrante: (Alvará de Licenciamento 535 -Inscrição 62000 –Prefeitura Municipal de Bertioga  –litoral norte de SP).

Fernando Alves de Oliveira, Consultor Sindical Patronal, autônomo e independente com vasta experiência adquirida ao longo de 36 anos de vivência no setor executivo e consultivo da área associativa patronal, exclusivamente da área patronal (entidades sindicais e associações de classe). Autor dos livros abaixo, ambos editados pela LTr Editora e de inúmeros artigos versando sobre o sindicalismo nacional. Conheça-os (especialmente o mais recente “O sindicalismo do atraso”) publicados em centenas de mídias. Acesse o “Google” ou vide a página de acervo http://falvesoliveira.zip.net/
 

0 comentários: