Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Couto avalia que Brasil vai mal e contesta pesquisa favorável a Dilma

Os mais recentes escândalos de corrupção no Brasil, envolvendo o contraventor Carlinhos Cachoeira e políticos dos mais diversos partidos, mostram que, mais do que nunca, chegou a hora de o Brasil ser passado a limpo e recolocado nos trilhos da ordem e do progresso. Para isso, é preciso que tanto os políticos honestos quanto a população brasileira vistam a camisa verde e amarela para ganhar a guerra contra corruptos e corruptores.

A conclamação partiu do senador Mário Couto (PSDB-PA), em pronunciamento na tarde desta quinta-feira, 26, quando ele voltou a responsabilizar o Partido dos Trabalhadores pelo crescimento da corrupção no País ao mesmo tempo em que criticou a impunidade daqueles que insistem em assaltar os cofres públicos. A CPI do Cachoeira se mostra agora a oportunidade de o Congresso Nacional colocar um freio na corrupção.

"Neste momento em que passa a pátria, a nação, deveríamos todos estar unidos independentemente de cor partidária. É hora de nos unirmos e de fazermos uma faxina de verdade neste País. Que faxina a Dilma faz se seis ministros foram tirados das suas pastas e mais dezenas e dezenas de servidores públicos e nada aconteceu? Nenhum exemplo foi dado à nação. Absolutamente nada aconteceu. Já esquecemos até o nome dos ministros que saíram do Governo por corrupção", indignou-se Mário Couto.
Para o senador paraense, o Brasil "perdeu o leme, perdeu o rumo", para viver numa "ditadura política" desde que o PT assumiu o poder. "A pátria não pode crescer com uma corrupção tão galopante. Todos os setores, toda a pátria está corrompida. Todos os meses, há muitos anos, as televisões publicam a corrupção deste País. Parece que o brasileiro já tem isso como normalidade. O que era, antigamente, um pecado capital, uma anormalidade brutal, uma sem-vergonhice brutal hoje é uma coisa muito simples", atentou Couto.

Praticamente desde que assumiu uma cadeira no Senado, o tucano manifesta preocupação com as irregularidades praticadas no Brasil. Lembrou que tentou criar três CPIs na Casa, mas não conseguiu avançar devido ao rolo compressor do Governo. "Eu aqui chamei atenção durante anos, desde que entrei aqui, para a roubalheira do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte). Foram trilhões de corrupção. Por eu ser um senador de oposição, ninguém me deu bola. Tentei abrir três CPIs. Derrubaram todas as três, engavetaram, riram da minha cara. Mas não é da minha cara que riem; é da cara do povo brasileiro, que eu represento aqui, do povo do meu querido Estado do Pará, que eu represento aqui", disse Mário Couto.

O senador tucano ainda chamou atenção para o fato de que, ao contrário do que parece, a maioria da população brasileira não se mostra satisfeita com o governo petista. Isso pode ser constatado na pesquisa do Ibope desta semana, na qual a presidente Dilma Rousseff aparece com 77% de aprovação. Ocorre que esse alto índice de aprovação não reflete totalmente a realidade, conforme observou Mário Couto, com base em artigo do jornal O Estado de S. Paulo. Isso porque, para os brasileiros, o governo vai bem somente em três áreas: no combate ao desemprego, à pobreza e no controle do meio ambiente.

Em outras áreas essenciais o governo petista vai muito mal, na avaliação dos entrevistados. Segundo a pesquisa do Ibope, 65% da população reprovam o sistema de impostos; 63%, os serviços de saúde; 61% condenam a segurança pública; 50%, o combate à inflação; e 55% dos brasileiros reprovam os juros. "Institutos de pesquisas, senhores brasileiros, guiam as pesquisas neste País, fazem o que querem das pesquisas", criticou o senador, para questionar: "Por que a Dilma aparece bem nas pesquisas? Porque o instituto faz o que quer. Como a presidente Dilma pode ter popularidade tão elevada se a população desaprova a gestão do governo na maioria dos setores essenciais?".

Para Mário Couto, os políticos precisam parar de "se ajoelhar aos pés do governo" em troca de cargos públicos e outros favores, e levar o Brasil a sério. "É a hora, senadores, de colocar em pratos limpos este País. Vamos mandar para a cadeia os corruptos, os ladrões que assaltam a nossa pátria. Nós temos ordem neste Brasil hoje? Não. A pátria está corrompida. Nós temos progresso nesse país hoje? Não. Nós não temos educação, nós não temos segurança, nós não temos saúde. O país está parado brasileiros e brasileiras".

Fonte: Assessoria de imprensa

0 comentários: