Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Plebiscito deve ser pauta da "Assembleia Itinerante"

O líder do PSDB, deputado José Megale, solicitou que seja votado o mais breve possível seu requerimento sobre o retorno das sessões itinerantes e que seja priorizado o debate sobre o plebiscito da divisão do Pará.

No início de fevereiro, Megale apresentou requerimento para o retorno do projeto
“Assembleia Itinerante”, criado na década de 1980. Por meio desse projeto, os parlamentares discutem in loco com a comunidade das diversas regiões suas questões mais importantes e emergentes. Para ele, é estratégico que a Alepa debata o assunto nos municípios pólos. “A Assembléia tem que ser protagonista do processo, o qual deve ser pautado em demandas sérias, como a questão do plebiscito, ouvindo segmentos a favor e contra a divisão”.  

Sobre a população da área a ser ouvida no plebiscito – se somente a região que pleiteia o desmembramento ou o Estado todo -, o líder tucano destacou que esse universo se trata de uma questão legal, uma vez que a Constituição Federal determina que seja consultado todo o conjunto de eleitores.

O deputado ressaltou a importância do plebiscito como instrumento de decisão de questões polêmicas e citou como exemplo a mudança de denominações de vias públicas. Para o líder tucano, ao invés de nomes de ruas serem mudados por deliberação das câmaras municipais, eles deveriam ser submetidos a plebiscito envolvendo toda a população da cidade ou pelo menos os moradores da via em questão.

Liberação - Megale informou que na próxima semana o PSDB deve decidir como vai se posicionar sobre a divisão. Assim como as demais legendas, o PSDB não tem uma só opinião no caso da divisão. Há lideranças que são totalmente contra a divisão; outras que defendem a criação dos dois novos estados (Tapajós e Carajás); e outras que defendem apenas um desses projetos. “Eu, particularmente, acredito que a tendência do partido seja liberar as lideranças para que defendam suas propostas”, adiantou.

1 comentários:

Paula Portilho disse...

Oi Zildene. é muito importante que se tenha o máximo de debate em relação à questão. Imaginar dividir um Estado, é conversa "pra mais de metro". Nada pode ser decidido de "meia boca" e nem por alguns poucos e sim POR TODOS.