Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Faleiro pede providências no combate à malária no Marajó

O deputado estadual e vice-líder da bancada do PT, Airton Faleiro, encaminhou, nesta quarta-feira, 02, ofício para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e para o secretário de Saúde do Estado, Hélio Franco, cobrando providência no combate a Malária na região do Marajó, no Pará.

“Toda a região está em situação crítica, à exemplo do quem ocorrendo no município de Curralinho, segundo informações que obtive, em reunião realizada ontem (terça-feira) com o vereador do município, em meu gabinete”, disse Faleiro.

A malária avança no município de Curralinho, no Marajó. Só em janeiro de 2011, já foram registrados 1.068 novos casos, segundo informações do coordenador de endemias, Roberto Pereira, da Secretaria Municipal de Saúde.  O Pará está vivendo sua estação invernosa e a chuva contribui para a propagação da doença.

A gravidade do problema pode ser medida pelos números da doença. Em janeiro de 2010, foram confirmados 262 novos casos.  No mesmo ano, o total de casos, de janeiro a dezembro, chegou a 13 mil registros.

Por causa da falta de medicamentos, segundo Roberto Pereira, em junho e julho de 2010, os novos casos de malária, somados, chegaram a 2.429 resultados positivos para a doença.

O vereador Marcos Baratinha, de Curralinho, esteve em Belém, ontem, terça-feira, 01, pedindo ajuda ao deputado Airton Faleiro, para interceder junto ao Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde.

 “Nós precisamos urgentemente de dois microscópios para ajudar no diagnóstico da doença. A rapidez na análise da coleta de sangue pode ajudar a combater a doença, mas a doutora Marta da Nóbrega, coordenadora do programa de Malária da secretaria estadual de Saúde disse que o estado não tem como doar os dois microscópios”, disse o vereador.

Ainda segundo Roberto Pereira, o município de Curralinho dispõe de apenas seis microscópios, cinco que atendem aos moradores da zona rural e um na zona urbana. Também falta pessoal para trabalhar no controle da malária. O município tem 14 pessoas atuando diretamente nas comunidades, que também fazem trabalho de prevenção contra a dengue. A Sespa conta apenas com um técnico para este trabalho, mas ele se encontra de licença.

Não há funcionários do Ministério da Saúde atuando no combate à malária em Curralinho.

A população do município é de 30 mil habitantes. A estrutura municipal de apoio ao combate da endemia conta com 2 barcos e 2 voadeiras para atuar no controle da malária. Segundo o vereador Marcos Baratinha é necessário que sejam enviados alimentação e combustível para que os técnicos possam se deslocar pelo interior do município.

0 comentários: