Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Curso sobre organização social no Marajó chega à etapa final

A série de cursos sobre capital social que será encerrada na semana que vem após ter sido realizada em todos os 16 municípios do arquipélago do Marajó, no Pará, já é um marco para o diálogo entre sociedade e governo local. Lideranças entrevistadas pela equipe do Ministério Público Federal (MPF) em Muaná, por exemplo, consideram a iniciativa positiva.

"Dos cursos que já participei, esse é o primeiro que aborda a importância da organização social", relata o presidente do conselho de saúde muanense, Haílson Negrão. "Nas conferências municipais de saúde são citadas algumas das questões tratadas no curso, mas nunca tivemos a oportunidade de aprofundarmos essa análise, como agora estamos fazendo no curso".

De acordo com Negrão, o mais importante do curso sobre capital social é que as aulas levam os alunos a passarem a pensar mais na coletividade e a cobrar resultados dos governos. "Ajuda também toda sociedade a ter um maior discernimento, a tratar a saúde a partir de políticas públicas e não apenas políticas partidárias".

A presidente da associação de mulheres de Muaná, Débora Cristina Pinheiro, destaca que muitas vezes os cidadãos que têm queixas sobre serviços públicos comentam sobre isso com vizinhos e parentes, deixando de ir até os responsáveis pela resolução daqueles problemas. "Isso é muito importante no curso: a valorização do envolvimento", diz Débora Pinheiro.

Ela cita um exemplo claro de como a falta de organização social contribui para que os problemas permaneçam: "Os jovens muitas vezes reclamam da falta de espaços adequados para a prática de esportes, ou da falta de vagas de emprego no mercado de trabalho, mas aqui no Marajó eles não se unem para buscar saídas juntamente com as prefeituras".

"Nós, além das dificuldades de infraestrutura, temos a dificuldade da pobreza, da falta de renda de muitas famílias, como nós temos que dar resposta para a juventude, as crianças que têm problemas com as drogas que chegam a todo canto, então esses são os principais desafios", disse o prefeito de São Sebastião da Boa Vista, Getúlio Brabo de Souza, ao Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Mesmo as entidades mais bem organizadas revelam limites para implementar ações no Marajó, como é o caso da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). "A dificuldade é de se fazer a gestão, administrar as políticas e ações das esferas municipal, estadual e federal em razão da logística. Falta tratamento de água e falta segurança alimentar, além da falta de serviços bancários", diz Sandro Pinheiro, integrante do conselho de desenvolvimento rural sustentável e funcionário da Emater de Curralinho.

"A população grita, pede atenção para educação e saúde. Temos municípios de 25 mil metros quadrados e com apenas dois médicos. É realmente questão de vida ou morte", afirmou ao IICA o prefeito de Portel, Pedro Rodrigues Barbosa. "Só se a sociedade questionar é que pode haver mudanças", enfatizou o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, Alan Rogério Mansur Silva, durante sua participação na edição do curso em Muaná, na primeira semana de agosto.

"O desenvolvimento não vem de fora. É preciso que a própria população local organize-se em rede e trabalhe a partir das forças e oportunidades que possui", analisa o consultor do IICA Josemar Sousa Lima.

Além do IICA, participam da realização dos cursos no Marajó o Ministério Público Federal, Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU), Associação Nacional dos Procuradores da República, Defensoria Pública da União, Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ministério da Justiça e Cáritas Brasileira.


Fonte: MPF
Autor: MPF

1 comentários:

Anônimo disse...

PAULO O HOSPITAL REGIONAL DE SALINOPOLIS VIROU ENTIDADE FAMILIAR, A VICE DIRETORA ALESSADRA, SIMPLISMENETE CONTRATOU O MARIDO QUE É CHEFE DO DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS, O CUNHADO , CHEFE DO ALMOXARIFADO E O SOGRO ENFERMEIRO CHEFE DO HOSPITAL ETA NEOPOTISMO DISCARADO. E TENHO DITO.