Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

Um governo autoritário

O prefeito do município de Salinas, principal cidade litorânea do estado do Pará, Vagner Curi – PT esperou dois dias de vencimento da licença de funcionamento, na última quinta-feira [17], para retirar e levar para a secretaria de obras, todos os pertences das empresas Casemirão e Cia Paulista Pizza, ambas com barracas fixas na praia do maçarico à vários anos.

O fato aconteceu exatamente às 6h da manha de quinta-feira. Um baú da secretaria de obras estacionou no maçarico. Abriu as portas dos estabelecimentos comerciais do Casemirão e da Cia Paulista de Pizza retirou tudo que havia dentro e fora das dependências da empresa.

Segundo informações de um ex-funcionário da prefeitura aposentado, uma das empresas estava com dois dias de atraso no alvará de funcionamento e outra em dia.

“Um absurdo o que o prefeito Vagner Curi esta fazendo em Salinas. As duas empresas já funcionavam há vários anos na orla do maçarico, agora de uma pra outra o prefeito toma esse tipo de atitude. Na época do Di Gomes não havia perseguição”, disse o aposentado.

A mesma fonte do Blog Jornalismo Político disse que o dono da franquia da Cia Paulista de Pizza era ex-presidente da câmara municipal de Salinas na administração do ex-prefeito Di Gomes.

Outro fato relevante, segundo o ex-funcionário é que além da perseguição ao ex-parlamentar é que no local de uma das empresas, que funcionavam na orla do maçarico dará espaço para a construção de um restaurante popular, que cobrará R$ 1,00, nas refeições.


Fonte: Jornalismo Político
Autor: Jornalismo Político

3 comentários:

Anônimo disse...

O prefeito Vagner esta pintando e bordando do povo. O seu hospital fatura milhões a custas de pacientes que vem de fora.

E a Ana Júlia assiste quieta a falencia de Salinas.

Anônimo disse...

Vagner Curi, sinônimo de descrédito.

Anônimo disse...

Vamos ver onde o Vager vai chegar com tanto descaso com a saúde de nossa cidade.

Só vejo onibus chegaram abarrotados de pacientes de outros lugares. Mas a população ele não atende.